quinta-feira, 15 de julho de 2010

solto

O texto da vida dela ao som dos Broken Bells.
A tristeza era absolutamente inspiradora, tão simplesmente porque na tristeza há um caminho para algum lugar, há um efeito compensador qualquer, cujo conteúdo desconhecemos, mas que trilhamos para conquistar um outro estado. Uma outra coisa. Ela era assim. Meio caminho para o inexplicável e um outro caminho para a banalidade que nos é comum a todos.
Vai escrever para sarar a fome.
Vai partir pratos para compensar a raiva.
Vai ser humana para melhor viver com todos.
E o que fica?

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Pausa para pensar.

Laboratório.

Palavras.