quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Sobre o gosto

Está ali à direita uma votação, votem faxavor!

2 comentários:

Cristina disse...

Declaração de voto: a expressão tem mofo e lembra muito a minha juventude, em que frequentemente qualquer discussão, em torno de qualquer assunto, era abafada em nome de uma na altura desejada consensualidade. A sociedade de então dava-se mal com o confronto. É evidente que estou a generalizar, mas esta justificação é pertinente dado o uso que, durante muito tempo, se fez desta expressão, a ponto de se ter tornado consagrada na Língua Portuguesa.
Gostos opõem pessoas principalmente por desconhecimento do que está em causa; por ignorância, o que vem a dar no mesmo; por fim, por diferenças de sensibilidade, o que consiste naquilo em que o confronto entre duas posições se pode tornar mais irredutível. O que me ocorre é que o gosto, como outros dados da cultura humana, também se educa. Por outro lado, ao longo da vida e decorrente da diversidade das experiências, também se altera.

manhã disse...

Olá! já votei!